• Slide - BeerManiacs
  • Slide - BeerManiacs
  • Slide - BeerManiacs
  • Slide - BeerManiacs
  • Slide - BeerManiacs
  • Slide - BeerManiacs
PRODUTOS QUALITY maniacs@beermaniacs.com.br

BeerManiacs

ESPECIAIS BRANDS (41) 3084 9700

Maniacs é a patrocinadora oficial do Batel Soho Jazz Festival

Fonte: http://www.allbeers.com.br/2017/04/maniacs-e-patrocinadora-oficial-do.html

 

O final de semana prolongado terá música boa acompanhada de cerveja em igual qualidade. A Maniacs Brewing Co. será a patrocinadora oficial do 1º Batel Soho Jazz Festival. O festival acontecerá de 29/04 a 01/05, a partir do meio dia, no coração gastronômico de Curitiba: a Praça da Espanha. Com programação para toda a família, o evento reunirá cultura e gastronomia ao ar livre, com entrada franca.

Durante o festival poderão ser saboreados chopes da Maniacs nas versões Pilsen e IPA, no valor de R$12, além de outros rótulos da cervejaria convidada Brooklyn Brewery, no valor de R$20. Já na parte gastronômica, as atrações serão Alimentari, Aurora, Baccio Gellato, Brooklyn, Clube do Malte, Fabiano Marcolini, Jack Burger e Volken Pub.

A Maniacs é ampla apoiadora de eventos culturais. Esta será nossa primeira vez num festival de jazz e estamos ansiosos para apresentarmos nossas cervejas a esse público de bom gosto”, ressalta Iron Mendes, CEO da Maniacs Brewing Co.

Já na parte musical serão mais de 10 músicos locais e nacionais. Entre os destaques desta edição, estará o saxofonista Derico, que atuou durante 17 anos no quinteto do talk show Programa do Jô. Ele fará sua apresentação no final da tarde de segunda-feira, ao lado da banda curitibana Na Tocaia. Ao longo dos três dias evento subirão ao palco da Praça da Espanha Kadu Lambach, Raissa Fayet & Du Gomide, Beto Blues Trio, Marcelo Cigano e Jamy Savtchen.
 

 

 

Haverá ainda tributos especiais para Amy Winehouse e David Bowie, apresentados pela cantora Ni Salles e pela banda Diamond Dogs. As crianças poderão curtir um show dos Metralhas cantando Beatles, além de aproveitar outras atividades culturais e recreativas. 
Realizado pela Associação dos Comerciantes da Região da Praça Espanha (Ascores), idealizadora do circuito Batel Soho, o festival destinará parte do valor arrecadado às ações do Playing for Change em Curitiba. 

Programação

29/04
14h - Beto Blues
16h - Ni Salles (tributo a Amy Winehouse)
18h - Raíssa Fayet & Du Gomide

30/04
14h - Jazz Valente
16h - Kadu Lambach
18h - Metralhas (Beatles para pais e filhos)
19h - Diamond Dogs (Tributo a David Bowie)

01/05
14h - Marcelo Cigano Quarteto
16h - Jamy Savtchen
18h - Derico & Na Tocaia

Serviço
1º Batel Soho Jazz Festival
De 29/04 a 01/05 de 2017, das 12h às 20h
Praça da Espanha – Alameda Doutor Carlos de Carvalho, Bigorrilho.
Entrada gratuita


O refrigerador de água da tennent's

Fonte: http://www.scotsman.com/news/odd/tennent-s-water-cooler-rewards-travellers-banter-1-3488904

Data: 25/07/2014

 

Pode parecer um refrigerador de água normal, porém é muito mais do que isso. Criada pela empresa Tennent ́s Lager, o cooler de alta tecnologia conversa com os passageiros que viajam pelo Aeroporto de Glasgow, e testa também a qualidade das brincadeiras. Se a máquina decidir que o passageiro ganhe água, então será servido água. No entanto se a máquina se impressionar com as habilidades do passageiro, ela servirá uma cerveja da Tennent's. Um vídeo explicativo mostra os passageiros intrigados com a máquina, e ao mesmo tempo interagindo sem entender muito o que está acontecendo. Depois a máquina pede para que a pessoa faça uma dança escocesa (Highland Jig), cante alguma música da banda Proclaimers ou repita alguma frase de Glaswegian, em troca de uma cerveja – ou um copo da água. A representante da Tennent's Jane Cannon, explica "Nós queremos apresentar para os visitantes, o verdadeiro espírito de Glasgow; com bastante interação, muito humor, nunca muito sério".

"O cooler é uma boa sacada para que os visitantes descubram o conceito da brincadeira, e aperfeiçoarem seu bate papo."

.


Maniacs celebra 1 ano de atividade

Fonte: http://www.allbeers.com.br/2017/04/maniacs-celebra-um-ano-de-atividades-no.html

 

 Maniacs Brewing Co. celebra um ano de atividades. E para comemorar, a marca estará mais uma vez presente no Gastronomix, evento gastronômico do Festival de Curitiba, que conta com mais de 20 opções de iguarias, de chefes renomados de todo o Brasil. No evento do ano passado, o público participou da criação das cervejas IPA e Pilsen, por meio de experimentos colocados para votação. Hoje consolidadas, as cervejas da Maniacs serão comercializadas na versão chope em estande próprio da cervejaria durante todo o evento. 

Para nós é uma honra comemorar o aniversário da nossa marca no Gastronomix. Foi nele que demos o ponta pé inicial, trouxemos os primeiros produtos da Maniacs e tivemos os primeiros feedbacks do público”, ressalta André Oliveira, gerente nacional da marca. Nessa edição, foram oferecidas duas opções de chopes: as aniversariantesManiacs IPA e Maniacs Pilsen, e duas convidadas, Brooklyn Lager e a Brooklyn East IPA, da renomada cervejaria Brooklyn Brewery, de Nova York. Os valores variam de R$ 12 a R$ 18, por 400 ml.

O Gastronomix é uma feira de alta gastronomia, que faz parte do Festival de Curitiba. Esse ano o evento está em sua 9ª edição e foi realizado nos dias 8 e 9 de abril, das 12h às 20h, no Museu Oscar Niemeyer (MON) - Curitiba (PR).


Entrevista com Harviestoun Brewery

Fonte: http://www.beersofeurope.co.uk/news/harviestoun-brewery-qa/

 

Você é curioso para saber sobre as pessoas que estão por trás da cerveja que você compra? Ou talvez o que inspira os cervejeiros para fazer uma boa cerveja?  

 Essa semana conversaremos com a Harviestoun Brewery que estão aninhados no sopé dos montes Ochil na aldeia de Alva 

 

Quem é você e o que você faz? 

Meu nome é Scott Ferguson, eu sou o Gerente de Desenvolvimento de negócios para o Oeste da Escócia e do Noroeste da Inglaterra (popularmente falando ‘vendedor de cerveja’) 

 

Quando que o seu amor por cerveja começou? 

Eu sempre gostei de cerveja, até as comerciais. Quando comecei a trabalhar meio período com 16 anos, uma das primeiras coisas que comprei foi uma toca de cerveja e um neon da corona, encaminhado de Hong-Kong.... Minha mãe rapidamente me baniu do Ebay quando ambos chegaram no mesmo dia. Eu diria que comecei a me interessar no meu primeiro ano de faculdade. Estudei história na universidade, nada relacionado diretamente a cerveja, ou fabricação, eu só era um apaixonado pelo ramo, eu não consegui o trabalho na Harviestoun de primeira, pois era um vendedor que trabalhava casualmente com outras cervejarias. Um ano após isso, a Harviestoun me deu a chance. 

 

Qual foi a inspiração para começar a cervejaria?  

Tudo começou em 1983 com um homem chamado Ken Brooker. Ele tinha um galpão de jardim de tamanho substancial, onde preparava sua própria cerveja. Após isso começou a fazer noites de degustação para seus amigos, a notícia se espalhou, e rapidamente se tornou o convite mais cobiçado da cidade. Ken entregava convites e escutava os feedbacks que eram entregues a ele, fazendo seu progresso em sua qualidade e sabor da bebida. Depois de fazer isso por alguns anos, Ken comprou uma fazenda de 200 anos de idade, que pouco a pouco tornou-se uma Cervejaria Funcional.   

 

Qual é a história por trás do nome da cervejaria e a logo? 

Harviestoun é o nome de um pedaço da ilha, bem perto da fazenda original, e onde está localizada a cervejaria atualmente. Nossa logo é Harvie um rato, basicamente, antes que a saúde e segurança reclamem, havia alguns ratos na cervejaria fazenda que roubavam a cevada. Tinha um particularmente que nós não conseguimos pegar, e admirando sua coragem, adotamos ele como mascote!  

 

Aonde você vê, ou espera ver, a cervejaria em 5 anos? 

Acredito que iremos passo a passo no canal Premium, especialmente com nossa Schiehallion lager de oficio e com o nosso novo rótulo Harviestoun Stout. Enquanto nossa gama de originais continuará a ser o principal foco, e com razão, nós também temos produtos fantásticos em desenvolvimentos que irá adicionar a sensação de prestígio de Harviestoun e nos dar maior agilidade em uma categoria sempre em movimento. Mais e mais empresas estão se abrindo para a cerveja de qualidade e a ideia de uma Lager britânica ou Stout no lugar de algumas das mais mainstream. Já trabalhamos com alguns dos mais prestigiados hotéis, bares e restaurantes do país, então temos uma plataforma brilhante para trabalhar em cima.     

 

Olhando para o futuro, qual são as novidades que podemos esperar da Harviestoun nos próximos meses? 

Nós estamos lançando uma nova gama de cervejas em barril esse ano, The Mischief -  o coletivo para um  bando de ratos - e basicamente será a cervejaria correndo solta. Estaremos lançando cervejas como Ugli Fruit IPA e a Royal Tokaii , uma Pale Ale maturada em barril.  

 

Tem alguma cervejaria em que vocês possam se influenciar? 

Se eu estou sendo honesto, nós fazemos nosso próprio trabalho e somos vistos como pioneiros do ramo desde os primórdios, particularmente quando o assunto é barril envelhecido. Nós conversamos sobre coisas bacanas e interessantes que outras cervejarias vêm trabalhando em cima, pois cerveja boa é cerveja boa, não importando se é nossa ou não. Mas não somos tão influenciados ao ponto de copiar e fazer algo semelhante. Em termos de admiração, se continuarmos na Grã-Bretanha, tenho há muito tempo pela Titanic Brewery e Thronbridge. Na Escócia, eu pessoalmente gosto muito de tomar cervejas da Fallen e da Cromarty.   

 

O que você acha que faz uma boa cerveja? 

Para mim boa cerveja tem que ter começo, meio e fim. Tem que ter bom aroma e gosto, tendo uma sensação boa dentro da boca, descendo a garganta e dar um gosto prazeroso logo após.  

 

Qual foi sua primeira cerveja e aonde você experimentou? 

Eu posso me lembrar vagamente roubando goles de uma garrafa de Miller em uma festa quando eu tinha 7 ou 8 anos. Grande noite! 

 

Qual é o seu estilo de cerveja favorito? 

Eu não consigo me ver recusando uma IPA suculenta. Há também muitos estilos bons em algumas cervejarias a serem discutidos, mas eu me vejo constantemente voltando para Stone’s Ruination. 

 

Qual foi a coisa mais juvenil que fez enquanto estava bêbado? 

Alguns anos atrás fiquei bêbado em um parque com um monte de hooligans. Eu estava andando inocentemente para comprar algumas cervejas quando eles nos convidaram para beber junto com eles. Eles eram bem amigáveis, porém olhando em retrospectiva tinha muito potencial para dar errado. 

 

Qual é a melhor parte do seu trabalho? 

Conheci muitas pessoas que são apaixonadas por cerveja assim como eu. Também viajei algumas vezes, conheci partes do país que nunca estive antes. 

 

Obrigado Scott pela entrevista.


A ocasião faz a venda

Fonte: Revista (EmbalagemMarca)   

Uma simples olhada no crescimento da área ocupada pelas cervejas especiais nas gôndolas do supermercado dá a dimensão da receptividade do consumidor para esse tipo de produto, que hoje representa cerca de 1% do mercado de cerveja em geral. Essa modesta participação, quando traduzida em litros, não é desprezível. Estima-se que o consumo atual de cervejas superpremium no Brasil sugere os 130 milhões de litros, produzidos por mais de 300 microcervejarias.  

   Em meio à miríade de marcas que povoam as prateleiras, contudo, pouca inovação é vista em termos de embalagens. Geralmente com volumes modestos, as cervejarias de menor porte encontram dificuldades para viabilizar economicamente soluções diferenciadas, restando a elas apostar em nomes criativos e rótulos atraentes. Já as grandes cervejarias, que atuam nesse segmento com marcas nacionais e importadas, não têm cacoete para introduzir grandes novidades, que implicam custosas mudanças em seus processos. O resultado é uma gôndola bonita e homogênea.

   Nesse cenário em que o apelo visual é condição necessária (mas não suficiente) para ganhar o coração (e o bolso) do apreciador de cervejas, uma saída é apostar na experiência de consumo, ponto em que a embalagem continua sendo uma ferramenta poderosa. Com poucas alternativas para diferenciação na embalagem primária, uma opção é pensar no pack de agrupamento, fazendo-o extrapolar suas preciosas funções de estimular a venda de mais unidades do produto e de facilitar o transporte para o consumidor.

   Foi justamente esse o raciocínio que levou a Maniacs Brewing, cervejaria paranaense, a adotar a Cooler Box, uma embalagem argupadora (de papel cartão) inédita no Brasil, que faz as vezes “balde” de gelo. De olho em situações corriqueiras de consumo de cerveja, em que há necessidades de uso de geleiras para resfriar o produto, a Maniacs Brewing enxergou nessa solução uma oportunidade para estimular a venda de suas variantes Pilsen e IPA em latas de 350 mililitros.

   “Basta ao consumidor abrir a caixa por cima, romper o plástico e adicionar gelo, e em 30 minutos as latas estão geladas, prontas para beber”, explica Iron Mendes, CEO da cervejaria. O grande diferencial está no design estrutural. “O sistema de dobras impede o pack de vazar, mantendo-o íntegro por períodos superiores a sete horas”, afirma o executivo.

   Na prática, o envoltório plástico a que Mendes se refere não exerce função de proteção ao cartão da embalagem, que é resistente ao rasgo e, por si só, capaz de resistir à água e a umidade. Ocorre que, para expandir sua produção e conseguir as latas impressas (ao invés de ter de decorá-las com rótulos), a Maniacs Brewing terceiriza a produção desses itens, que recebe em pacotes com doze unidades, já unitizados com filme shrink. Como a montagem dos packs cartonados é feita manualmente, na própria Maniacs Brewing, a manutenção do shrink acelera o processo.

   O conceito da Cooler Box foi desenvolvido pela GPI – Graphic Packaging International, gráfica multinacional com planta em Jundiaí (SP), que otimizou o projeto para aumentar a capacidade de gelo na embalagem. “Essa funcionalidade foi pensada para situações de consumos comum no Brasil, como churrascos em que não há mais espaço nas geleiras para resfriar a cerveja, ou então para levar a bebida para a praia”, conta Jonas Copelli, gerente geral comercial da GPI Brasil.

   “Temos flexibilidade para atender os volumes de embalagens das cervejarias artesanais, e nossa equipe pode desenvolver soluções automatizadas, dependendo da necessidade do cliente e da velocidade das envasadoras” explica Copelli. “Naturalmente, se a opção for para soluções com máquinas embaladoras, é preciso fazer um projeto completo para estudar a viabilidade econômica. ”

   Além das latas de 350 mililitros, as cervejas da Maniacs Brewing também estão disponíveis em long necks de 300 mililitros, em garrafas de 600 mililitros, e em barris, na versão chope.


Maniacs Brewing lança suas primeiras cervejas em distribuição nacional

Data: 30/08/16

Fontehttp://www.allbeers.com.br/2016/08/maniacs-brewing-lanca-suas-primeiras.html


Os dois primeiros rótulos da Maniacs Brewing Co. chegam agora em setembro ao mercado brasileiro. As cervejas estarão presentes em mais de 3 mil pontos de venda, entre bares, restaurantes e supermercados. A primeira produção é de 50 mil litros e o objetivo da cervejaria para o primeiro ano é ultrapassar 1 milhão de litros vendidos.

As cervejas

Maniacs Pilsen, equilibrada e leve, segue a linha das Pilsens alemãs, tem amargor suave e aromas florais dos lúpulos alemães selecionados pela cervejaria. De coloração dourada clara e 4,5% de teor alcoólico, é a cerveja ideal para o clima brasileiro.
Maniacs IPA, mais ousada no perfil de aroma e amargor, segue a escola das cervejarias artesanais americanas. Com maior carga de lúpulos, a cerveja tem aromas frutados e amargor marcante. Cor dourada, 4,7% abv e final seco, é uma das cervejas mais vendidas da marca em sua versão chope, já comercializada em Curitiba.
 

 

 

As garrafas de 300ml irão a público com preço de entrada de R$6,90 em supermercados e R$9,90 em bares e restaurantes. Outra excelente novidade é que o lançamento contará também com latas da Maniacs de 350ml, ao mesmo posicionamento de preço de R$6,90. Completam a linha de embalagens as garrafas de 600ml e as versões de chope Maniacs, incluindo barris descartáveis que abastecerão os bons bares cervejeiros de todo Brasil.

Posicionamento da Maniacs Brewing Co. mira drinkability alta

Apostando em cervejas ousadas, com paladar marcante, a marca foge do lugar-comum das cervejas de massa, porém, investe em cervejas com alta drinkability. 
Você vai querer dar mais um gole”, aposta Iron Mendes, CEO da Maniacs Brewing. “A Maniacs Pilsen e a Maniacs IPA refletem nossa paixão pela cerveja artesanal, e nossa preferência por bebidas com personalidade, porém, fáceis de beber. Este é só o começo. Em breve, lançaremos a Summer Ale e também nossa interpretação das cervejas de trigo”, antecipa.
 

 

 

A criatividade da equipe e a ousadia da marca são os pontos-chave no posicionamento da Maniacs Brewing Co. Criatividade e ousadia que se manifestam na seleção cuidadosa dos ingredientes, nas várias versões de embalagens lançadas simultaneamente, na criação de cervejas sazonais, no investimento na fábrica, no delivery de chopes, na equipe altamente especializada e apaixonada por cerveja, entre outras várias estratégias que a marca trabalha para fazer barulho no mercado brasileiro. “São cervejas feitas por Loucos por Cerveja e para Loucos por Cerveja! Nossa batalha diária é apresentar um excelente produto com preços competitivos. Nossos consumidores se importam com a qualidade do que comem e bebem e queremos entregar-lhes o melhor”, resume Mendes.

Sobre a Maniacs Brewing Co. e o mercado de cervejas artesanais

O mercado de cervejas superpremium vive ótimo momento no Brasil, contabilizando mais de 300 microcervejarias e crescimento constante nos últimos anos. No país são consumidos em média 67 litros de cerveja por pessoa, totalizando 13,4 bilhões de litros anuais. O segmento de cervejas especiais é responsável atualmente por 1% do mercado brasileiro, sendo consumidos 134 milhões de litros anualmente. Mas vale lembrar que as “craft beers” crescem dois dígitos ao ano mesmo nos mercados consolidados, como Europa e Estados Unidos. Para se ter uma ideia do potencial desse mercado, em 2015 o segmento de cervejas artesanais faturou US$22,3 bilhões nos Estados Unidos, representando 21% em faturamento do mercado total de cervejas norte-americanas.

A Maniacs Brewing Co. abriu sua primeira fábrica no Paraná no início de 2016 e está desenvolvendo parcerias com outras fábricas para a expansão de sua produção. Já nos primeiros meses de trabalho foi premiada com medalha de bronze no South Beer Cup 2016 – Copa Libertadores de Cerveza, para sua Maniacs Saison, categoria “Belgian and French Ales”.
“Iniciamos o trabalho com cervejas em 2005 e desde então nos dedicamos às cervejas artesanais. Participamos do nascimento e consolidação de diversas marcas no Brasil e agora pretendemos tornar nossa marca própria Maniacs Brewing Co. uma das principais cervejas artesanais no país”, completa Mendes.


Saiba mais em: www.maniacs.com.br
Facebook: maniacsbrew
Instagram: @maniacsbrew


As Sidras chegaram, mas será que para ficar?

Fonte: http://blogs.uai.com.br/paoecerveja/as-sidras-chegaram-ao-brasil-para-ficar/

 

Quem nunca ouviu falar, e nunca torceu o nariz para a bebida ” sidra”? Ela é mal vista por aqui, até porque o pouco contato que todos têm com a bebida vem de um único rótulo, apresentado ao Brasil por imigrantes italianos, cuja qualidade é questionável.Por causa dessa marca única no mercado, sempre associada aos brindes de fim de ano em mesas menos abastadas, ao ouvir o nome Sidra o brasileiro bate o martelo ao afirmar que trata-se de uma bebida ruim, vagabunda, uma imitação fuleira de champagne e outros atributos nada simpáticos. E deixa de ter uma experiência nova interessante. Tomar sidra pode se transformar em novo hábito dos brasileiros, sabia? Elas estão chegando com força por aqui e estão sendo produzidas artesanalmente, no rastro de um movimento internacional alavancado pelos Estados Unidos.

Esqueça  o sabor que você acha conhecer de sidras. Elas não são bebidas docinhas, parecidas com um suco de maçã de merenda escolar. Isso é o padrão imposto pela tal marca única conhecida no mercado brasileiro. As sidras que estão chegando ao mercado, seja importadas ou feitas artesanalmente por aqui, são secas, refrescantes, saborosas e pouco doces. Uma delícia para as tardes de verão super quentes que já se anunciam!

Origem

O nome ” sidra” vem da palavra hebraica shekar,  que quer dizer bebida forteVariantes dessa palavra foram usadas em diferentes civilizações, como na Babilônia – Sikaru, na Grécia – Sikera, Império Romano – Sicera. Como em italiano a bebida é chamada de Sidro e foi por meio de imigrantes italianos que ela chegou ao Brasil, por aqui recebe o nome de Sidra, com S e não com C, como muitos confundem. Cidra, com C, é o fruto da cidreira.

Sidra é o fermentado de maçãs. E pela legislação brasileira só pode ser chamada de sidra a bebida feita 100% da fruta. Caso entrem outras frutas, como peras ou pêssegos ou abacaxi, só pode ser rotulada como bebida mista. Na preparação dela a fermentação é inteiramente natural e para que isso aconteça, sem intervenções  e inoculações de outros tipos de fermento, as maçãs precisam ser perfeitas. Não em formato ou tamanho. Perfeitas no sentido de integridade. Elas não podem estar quebradas, com a polpa exposta, porque seriam uma fonte para bactérias, o que atrapalharia ou até impediria a fermentação. Também é essencial que não tenham sido cultivadas com uso de produtos químicos, ou seja, precisam ser frutas orgânicas. A sidra industrializada brasileira, a da marca única, são feitas com maçãs de descarte, despedaçadas, já meio apodrecidas, sem padrão. Por isso é uma bebida tão barata.  

Estatísticas

Na França se produz sidras em diferentes regiões, sendo a principal próximo ao país Basco, e para cada uma delas há diferença no perfil, umas mais doces, outras mais secas. Grã-Bretanha também é um grande centro produtor, vindo de lá algumas das importadas que temos visto por aqui, como a irlandesa Magners, que nos chega nos sabores tradicional, cerejas e peras. Mas é nos Estados Unidos que temos visto um florescer da cultura da sidra. Para que você tenha ideia, estatísticas traçadas pela Associação Norte-americana de Produtores de Sidra mostram que em 2013, quando a associação foi fundada, havia 96 produtores. Em 2014 o número pulou para 274. No ano seguinte já havia 724 americanos produzindo sidra e até junho de 2016 a associação contava com 1330 membros. 

 

As Épo

Três versões para as primeiras sidras artesanais do Brasil, produzidas pela Cia Morada Etílica

Já as sidras artesanais brasileiras pioneiras vêm do visionário e sempre genial André Junqueira, da Cia Morada Etílica de Curitiba ( ele já deu as caras por aqui). Desde meados de 2016 estão no mercado as ÉPO ( nome brasileirês para ” apple”), sidras pensadas por ele e produzidas dentro da vinícola Cia Piagentini, em Caxias do Sul. Todo o processo, desde a colheita das maçãs até o engarrafamento da bebida fermentada, é feito lá, sob a orientação do próprio Junqueira. Segundo ele, “a vontade de beber uma boa sidra seca e refrescante, em um copão cheio de gelo”, foi o que o levou a encontrar um jeito de produzir, já que no mercado não havia nada nem parecido. Ainda de acordo com Junqueira, ele nunca achou que seria fácil introduzir o conceito da bebida por aqui: ” sempre soube que seria um desafio comercialmente falando, por conta da falta de conhecimento do público a respeito do produto, e que muitos esperariam um perfil “infantil” de bebida doce e tal, o q obviamente eu não faria.” E não fez mesmo! As sidras ÉPO são deliciosas e refrescantes, tal qual foram idealizadas! Elas são produzidas em três versões: Hibi, com abacaxi e hibiscus; Ambu, que passa por maturação em barril de Amburana e Hop, com adição de lúpulos americanos ( um cruzamento claro com a cerveja).

Mesmo não sendo uma bebida ainda bem reconhecida pelo público brasileiro , anotem aí que 2017 pode trazer belas surpresas se o assunto for Sidra. Não tenha medo de experimentar, porque todo o conceito que você pode ter da bebida vem de equívocos. Acredite, sidra chegou e quer ter o seu lugar ao sol!

 


Festival Brasileiro da Cerveja

Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenau - SC começou no dia (08/03), e tudo correu conforme o planejado: muita cerveja artesanal de qualidade, vários loucos por cerveja se deliciando com as novidades e, também já de praxe, a Morada Cia Etílica conquistando vários prêmios - inclusive a prata na categoria BEST OF SHOW e ouro na categoria Belgian-Style Flanders Oud Bruin com a novidade Gasoline Sour - uma versão da Gasoline Soul maturada por 2 anos em barris de carvalho de vinho do porto, refermentada e envelhecida em garrafa por 1 ano com Brettanomyces.

 

A lista das demais cervejas premiadas, já bem conhecidas do público e dos júris de festivais: a Double Vienna Brut ganhou bronze na categoria Experimental Beer, e a Gasoline Soul levou também o bronze na categoria Scotch Ale. E, pra fechar com 2 medalhas douradas, a CDB ficou em primeiro lugar na categoriaContemporary Gose e a Hop Arabica levou ouro na categoria Coffee Beer.

 

Não falta motivo pra comemorar, certo? Escolha sua Morada favorita, erga o copo pro brinde e tenha orgulho do que você bebe! 


Scorcher IPA

O novo lote da Brooklyn Scorcher IPA chegou ao Brasil com a qualidade de sempre - continua aquela ótima Session IPA decididamente lupulada - e uma novidade: agora também disponível em chopp!

 

Para aqueles que ainda não conhecem, a Scorcher IPA irá surpreender! O aroma floral e de pinho chegam primeiro, seguido de uma explosão de amargor de dar água na boca assim que os lúpulos começam a atacar. De repente, um toque do malte tostado e o final vivo e limpo aparecem pra te deixar com sede de MAIS! É extremamente saborosa, e seus moderados 4,5% de teor alcóolico a fazem uma cerveja para você beber de novo e de novo.


Magners Berry

Magners Berry chega ao Brasil

Distribuída pela BeerManiacs, a bebida é elaborada com adição de um blend único de morangos, framboesas e cassis

Depois do sucesso de vendas da Magners Original e Magners Pear e com o objetivo de proporcionar novas experiências aos consumidores brasileiros, a BeerManiacs traz para o Brasil a Magners Berry.

Desta vez, a Magners apresenta ao público uma deliciosa irish cider com frutos silvestres. Elaborada com base de peras, a Magners Berry tem adição de um blend único de morangos, framboesas e cassis, tudo com a refrescância natural que só uma verdadeira irish cider pode oferecer. Com apenas 4% de álcool é ideal para o clima tropical do Brasil.

Magners Original
Outra novidade que promete refrescar o verão é a versão Magners Original disponível em barris. A bebida é servida “na pressão”, assim como chopp e pode ser encontrada no Empório Alto de Pinheiros (SP), The Joy (SP), Escondido Pub (RJ) e Sheridans Pub (PR). Aqui no Brasil, a Magners Original é oferecida também em garrafas long-neck de 330 ml.
Com 4,5% de álcool, é composta por 17 variedades de maçãs frescas e é maturada por 18 meses em tonéis de carvalho, o que confere ao produto características únicas de maciez e leveza. Diferentemente da cerveja, a Magners pode ser consumida com gelo no copo.

Sobre a Magners
Fundada em 1935, a Magners pertence ao C&C Group plc, fabricante e distribuidor líder no setor de bebidas alcoólicas, em especial na Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos. As principais marcas do C&C Group na Europa são a Magners Cider, Bulmers Cider e Tennent’s Beer. O Grupo adquiriu recentemente a Hornsby’s Cider e a Woodchuck Cider, marcas líderes nos Estados Unidos.

Sobre a BeerManiacs
A BeerManiacs é distribuidora e importadora de bebidas com conceitos únicos. Cada rótulo é estudado minuciosamente antes de entrar no portfolio da empresa. O objetivo é proporcionar experiências marcantes e aproximar o consumidor brasileiro do que existe de melhor no mundo.


Sidra Magners a bebida de maçã

Sidra mais consumida na Irlanda chega ao Brasil em função do Dia de São Patrício e sugere degustação com gelo

 

 

Fonte: http://www.areah.com.br/vip/novidade/materia/40260/1/pagina_1/sidra-magners-a-bebida-de-maca.aspx

 

Sidra é uma bebida fermentada, normalmente feita de maçãs

A sidra Magners, uma das marcas mais famosas e respeitadas na Irlanda, irá desembarcar no Brasil em comemoração ao St. Patrick’s Day, (Dia de São Patrício, padroeiro da Irlanda) em 17 de março.

 

A bebida fermentada é feita de maçã e passa 18 meses em maturação em barris de carvalho. Outro sabor que chegará ao Brasil é a Magners Pear, no sabor pêra e produzida com a fruta. Ambas são vendidas em garrafas de 300 ml estilo long-neck.

 

A sidra é uma bebida feita em regiões onde a produção de maçãs é uma grande atividade econômica. Pode-se utilizar qualquer variedade de maçã, mas há espécies cultivadas especialmente para esse uso. São conhecidas como “cider apples” (maçãs de sidra).

 

Uma curiosidade: diferente das bebidas fermentadas comuns, a sidra é servida com gelo.

 

“Estamos em constante busca por novidades e empresas líderes em seus segmentos no mundo. Pretendemos proporcionar novas experiências ao consumidor brasileiro e a Magners Irish Cider é a combinação perfeita entre o público jovem e o clima tropical do Brasil”, dz Iron Mendes, Diretor Executivo da importadora BrazilWays International Commerce. “Essa é a categoria de bebidas alcoólicas que mais cresce no mundo, principalmente em países jovens como Estados Unidos, Canadá e Austrália. Teremos o mesmo sucesso no Brasil”, finaliza.

 

A marca Magners, fundada em 1935, é a mais vendida entre sidras e cervejas na Irlanda, e pertence ao C&C Group, líder no setor de bebidas alcóolicas na Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos


Tennent's Whisky Oak Agged

 

Fontehttp://www.lokobeer.com/group/tennent-s-whisky-oak-aged

Estilo: Scotch Ale
Teor alcoólico: 6,0%
Temperatura ideal de consumo: entre 12 e 14 ºC

A Tennent’s Beer Aged with Whisky Oak é elaborada a partir da combinação de 4 tipos de lúpulo - Zeus, Summit, Tettnang e Aurora, seguindo uma receita complexa que também inclui 3 tipos de maltes escoceses cultivados localmente e a água pura do lago Katrine. Após isso, a cerveja matura em barris de Speyside Single Malt Whisky, com os sabores amadeirados, de baunilha e whisky tomando corpo com o passar do tempo. O resultado final é tão complexo quanto acessível, oferecendo uma experiência gustativa memorável.

O estilo Scotch Ale também é conhecido como wee heavy, expressão que é usada para traduzir a impressão que esta cerveja produz no degustador. Escocesa de mais alto teor alcoólico, fortemente maltada, com gosto de caramelo, clara e pouco amarga, apresenta carbonatação moderada e uma grande variação de cores, entre âmbar claro e marrom escuro. A carbonatação é evidente, embra produza uma espuma nem sempre persistente. O caráter maltado, geralmente doce, a torma idela para acompanhar sobremesas.

A Tennent Caledonian é cervejaria mais antiga e mais bem sucedida da Escócia. Sua história começa em 1556 em Glasgow, na Escócia, quando Robert Tennent começa a produzir cervejas às margens do Molendinar Burn. Em 1740, durante a Idade Média, a fabricação de cerveja torna-se comum na área hoje conhecida como Wellpark. No entanto, os irmãos Hugh e Robert Tennent são os primeiros a estabelecer uma empresa cervejeira pública, nasce a primeira cervejaria comercial de Glasgow.

Em 1790 a cervejaria adota o nome Wellpark, inspirado em um poço artesiano conhecido como Lady Well que fornece água potável a partir do Molendinar Burn. Em 1797 ocorre a primeira exportação registrada de cerveja Tennent, enfrentando o Atlântico para os escoceses expatriados que vivem nas Américas. Em 1860, pouco mais de 100 anos depois de ser fundada, a cervejaria Tennent torna-se o maior exportador de cerveja em garrafa no mundo, transportando para as Índias Ocidentais, as Américas e toda a Europa continental.

 

Cervejaria: http://www.tennentswhiskybeer.com
 


Damm Inedit na versão long neck

BeerManiacs apresenta a já consagrada Damm Inedit na versão long neck

Fonte: http://www.guiagphr.com.br/novidadesMercadoDetalhe.asp?iid=10922

 

No estilo witbier, a cerveja tem 4,8% de álcool e leva alcaçuz e casca de laranja em sua composição e foi elaborada especialmente para acompanhar pratos da alta-gastronomia

Em 2008, Ferran Adrià e Juli Soler, sommeliers do renomado restaurante espanhol El Bulli, elaboraram uma receita exclusiva aos Cervejeiros da Damm. Estrella Damm Inedit foi criada especialmente para acompanhar pratos da alta-gastronomia em um conceito inédito de harmonização, sendo uma perfeita alternativa ao vinho nos maiores restaurantes do mundo.

Estrella Damm Inedit chegou ao Brasil em 2013, em garrafas de 750 ml, e agora a BeerManiacs apresenta uma nova versão em exclusivas garrafas de 330 ml.

A bebida é um coupage único. Mescla de maltes de cevada e trigo, aromatizada com lúpulos e especiarias como coentro, casca de laranja e alcaçuz. Com perfeita complexidade aromática, a cerveja contempla aromas frutado e floral, com notas doces no paladar. É uma cerveja fresca, com suave carbonatação.

É recomendável que seja servida em taças de vinho branco e descansada em um balde de gelo sobre a mesa no momento do serviço.

Sobre a BeerManiacs

A BeerManiacs é distribuidora e importadora de bebidas com conceitos únicos. Cada rótulo é estudado minuciosamente antes de entrar no portfólio da empresa. O objetivo é proporcionar experiências marcantes e aproximar o consumidor brasileiro do que existe de melhor no mundo.


DAURA: O direito de degustar uma cerveja

A criação da CERVEJA SEM GLÚTEN deu aos portadores da doença Celíaca o direito de degustar uma 'cervejinha'.

Fonte: http://www.beerlife.com.br/portal/edicao/default.asp?edicao=7&secao=Mercado&id_materia=58


É desconhecida da maioria da população a existência de uma doença que proíbe o consumo de qualquer produto que contenha glúten. Retira-lo do cardápio pode parecer uma tarefa fácil, mas não é tão simples assim, pois o glúten está presente em quase todos os produtos. 
Os portadores dessa doença, conhecida como Celíaca, não podem consumir nenhum produto que tenha trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados; ou seja, pão, massa, doces, entre outros. Assim, para um apaixonado por cerveja, o primeiro produto que vem à mente é a restrição ao consumo da bebida. 
Realmente, até pouco tempo atrás, degustar uma boa cerveja era algo fora de cogitação para qualquer celíaco, mas o crescimento do diagnóstico da doença e o consequente crescimento do mercado levou ao surgimento da primeira cerveja sem glúten. 
Depois de intensas pesquisas pelos laboratórios associados às empresas cervejeiras em busca de um produto 100% livre de glúten e sem o menor risco de contaminação, surgiu a cerveja que veio de encontro com a necessidade dos celíacos. No início, foram criados processos de filtragem do glúten, o que originava cervejas de baixo teor da proteína, mas que não eram, em sua totalidade, seguras para os doentes celíacos. Hoje, já há no mercado cervejas totalmente sem glúten e seguras para os portadores desta doença. 
Produzida com água, lúpulo, fermento e cevada - ou trigo - a cerveja era restrita aos celíacos. A solução encontrada foi a substituição da cevada ou do trigo por trigo-mourisco ou sorgo. Depois dessa descoberta, a dificuldade passou a ser tornar a cerveja suficientemente saborosa para os consumidores. 
Assim como a legislação das cervejas sem álcool, a das cervejas sem glúten também varia entre os países. No Reino Unido uma cerveja é considerada gluten free quando tem menos de 20 partes por milhão de glúten (20 ppm); já na Austrália essa designação é aplicável apenas para cervejas que não contêm nenhuma quantidade detectável de glúten. 
Nos últimos anos têm surgido inúmeras cervejas sem glúten, o que é perceptível por meio das vendas e dos acontecimentos que têm acompanhado seu desenvolvimento como, por exemplo, a realização do 1º Festival Internacional de Cerveja sem Glúten, que ocorreu em Chesterfield, Reino Unido, no ano de 2006 e que teve o apoio da CAMRA (Campaign for Real Ale). Outros exemplos do crescimento deste mercado são as lojas online que só vendem produtos sem glúten e um livro que elenca vinhos, cervejas e bebidas destiladas que podem ser consumidos pelos celíacos: o Clan Thompson 2007 Celiac Pocket Guide to Gluten-Free Beers, Wine & Spirits. No entanto, a distribuição ainda se restringe essencialmente aos EUA, Reino Unido e Austrália.

PANORAMA BRASILEIRO
Estima-se que quase 1% da população seja portadora da doença Celíaca e, embora a maioria não tenha sido diagnosticada, este número vem aumentando significativamente. Nos Estados Unidos a taxa de diagnóstico da doença quadruplicou de 1950 para cá o que mostra que ser celíaco não é mais uma condição rara. 
Segundo previsão da ONU (Organização das Nações Unidas), em 2010 a população da cidade de São Paulo será de quase 20 milhões. Segundo um estudo europeu*, um em cada 200 paulistanos é celíaco. Sendo assim, no próximo ano haverá quase 100 mil portadores da doença na cidade e, portanto, proibidos de consumir glúten; embora nem todos sejam – ou serão – diagnosticados. 
Mesmo com o número de celíacos crescendo devido ao aumento dos diagnósticos, no Brasil há ainda apenas uma cerveja disponível para esse grupo. A espanhola Estrella Damm Daura foi lançada em novembro de 2006 depois de muitos estudos frutos da parceria entre a Cervejaria Damm e a entidade pesquisadora vinculada ao ministério da saúde na Espanha, o Council of Scientific Research. 
Iron Mendes, da BrazilWays, diz que decidiu importar a Estrella Damm Daura, pois era uma possibilidade de oferecer uma cerveja a um público carente de opções. “Entre 1% e 3% da população tem indisposição ao glúten e até então, no Brasil, essas pessoas não podiam apreciar uma cerveja”, explica Iron. Na primeira importação, a empresa trouxe um lote pequeno apenas para testar. Este lote acabou em duas semanas. “A divulgação foi sempre no boca a boca e as vendas são excelentes, o que prova a carência do mercado e o desejo dos celíacos em degustar uma cerveja, assim como as demais pessoas”, revela Iron. O mercado não é pequeno. Existem centenas de casas especializadas para celíacos em todo Brasil, além de seções de supermercados dedicadas a esses produtos. 

ESTRELA DAMM DAURA
Cerveja do estilo Pilsen e com teor alcoólico de 5,4%, a Estrella Damm Daura foi premiada no WBA 2009 (World Beer Awards) e tem menos de 6 ppm (parte por milhão). A recomendação para celíacos em diversos países é a de que, para ser considerado ‘sem glúten’, um produto deve ter menos de 20 ppm. 
A Daura Damm possui as mesmas propriedades que as cervejas normais, porém passa por um processo em que o glúten é degradado, tornando-se apropriada para o consumo por celíacos. (M.P.) 

*Oliveira et al. High prevalence of Celiac Disease in brazilian blood donor volunteers based on screening by IgA anti-tissue transglutaminase antibody. European Journal of Gastroenterology and Hepatology 19, 200


Cervejas da Estrella no La feria

A 4ª Edição da "La Feria" que acontecerá nos dias 11/04 das 12h as 22h e 12/04 das 12h as 19h de abril de 2015 na Mansão Hasbaya em SP e reunirá o melhor da culinária, cinema e arte da Espanha. O evento é gratuito, os visitantes poderão saborear pratos e tapas da culinária espanhola a preços promocionais. Cervejas e vinhos também poderão ser dugustados, Beermaniacs (cervejas Damm) e Estrella Galicia.

http://www.laferia.com.br/


Brooklyn Blast de cara nova!

A Brooklyn Blast apresenta um novo aspecto para sua embalagem. 

http://brooklynbrewery.com/brooklyn-beers/perennial-brews/brooklyn-blast
https://twitter.com/i/notifications?lang=pt
 


The Brooklyn Brewery com a cerveja mais vendida do Mestre-Cervejeiro.

O Mestre Cervejeiro elegeu a Brooklyn Lager a cerveja mais vendida do mês de Março, pelo segundo mês consecutivo. Seguido da GUINNESS em 4º lugar e a ESTRELLA – INEDIT em 6º lugar. 
 

Mestre-Cervejeiro.com
facebook.com/MestreCervejeiro


Empresa lança batata com sabor de Guinness

A Burts, em parceria com a Diageo, empresa que produz a famosa cerveja Guinness, lançou recentemente uma batata chips com o sabor da cerveja.

As batatas são vendidas em pequenas porções de 40 gramas e possuem notas acentuadas de malte irlandês e lúpulo. Mas apesar do sabor inspirado na Guinness, a batata não possui álcool em sua composição.

De acordo com a Burts, as batatas são fritas a mão e apresentam formatos e texturas diferentes da maioria das batatas fritas de pacotinho.

http://destinocervejeiro.com/empresa-lanca-batata-sabor-guinness


Way Beer será um dos destaques do Gastronomix

A empresa paranaense vai levar diversos rótulos para o evento que faz parte da programação oficial do Festival de Curitiba.  Nos dias 28 e 29 de março de 2015, será realizada a sétima edição do Gastronomix, feira gastronômica que faz parte da programação do Festival de Curitiba. O evento, que trará para Curitiba nomes como Alex Atala, Katia Barbosa, Beth Beltrão e Wanderson Medeiros, será realizado no Museu Oscar Niemeyer (MON) e contará com a participação da Way Beer. 

http://www.gourmetvirtual.com.br/noticias/way-beer-sera-um-dos-destaques-do-gastronomix

 


2º Campeonato Brasileiro de Sommelier de Cerveja

Lista das Cervejas degustadas na Semi-Final, e também a cerveja que fechou com chave de ouro foi a Ola Dubh 18 !

Confira a lista das 8 Cervejas da Semi-Final:

1. Fuller’s London Pride - Special Bitter / 2. Weihenstephaner Vitus - German Weizenbock / 3. Fantôme Hiver - French & Belgian Saison / 4. Paulaner Salvator - Doppelbock / 5. Chimay Rouge - Belgian Dubbel / 6. Anchor Breckle’s Brown - American Brown Ale / 7. BrewDog Libertine Black Ale - American Black Ale / 8. Courage Imperial Stout - Russian Imperial Stout

http://www.institutodacerveja.com.br/noticias/veja-quais-foram-as-cervejas-degustadas-as-cegas-no-2o-campeonato-brasileiro-de-sommelier-de-cerveja


Butantan Food Park edição especial Saint Patrick's Day

Para comemorar a Saint Patrick's Day, o Butantan Food Park entrou no clima com uma edição gastronômica especial. Além da presença das cervejas tipicamente irlandesas, o espaço ofereceu boa gastronomia, com sugestão de harmonização com cervejas e sidras da importadora Beer Maniacs. 

https://catracalivre.com.br/sp/gastronomia/gratis/butantan-food-park-realiza-edicao-especial-saint-patricks-day/#


Mais uma grande conquista!

A cerveja Pagan Porter, ganhou medalha de prata na categoria Robust Porter no Festival Brasileiro de Cervejas de Blumenau!
 

https://www.facebook.com/CervejaPagan/photos/a.137512086387366.25478.137019946436580/507224582749446/?type=1&theater


Spiegelau Série Craft Beer

A BeerManiacs apresenta Spiegelau Série Craft Beer. Copos projetados especialmente para contemplar as características únicas de cada estilo de cerveja, usando as mais requintadas matérias-primas. 

http://www.guiagphr.com.br/novidadesMercadoDetalhe.asp?iid=11408


Brigadeiro de avelã Porter

Em parceria com a Way Beer a SmashMallow Bakery desenvolveu o delicioso Brigadeiro de Cerveja Avelã Porter. Para experiementar o brigadeiro eles oferecem serviços sob encomenda. 

facebook.com/smashmallowbakery
facebook.com/waybeer?fref=nf

 


Kit Petroleum Madeira

A Dum Cervejaria lançou o kit especial da Petroleum, A cerveja foi maturada Amburana, Castanheira do Pará e Carvalho Francês, cada uma com um tipo específico de tosta.